Museu Violeta Parra

O museu Violeta Parra é a concretização de um desejo que por anos possuiu os filhos da artista, Isabel e Ángel Parra, que através da Fundação Violeta Parra e após um longo trabalho, conseguiram reunir as obras que hoje são exibidas neste espaço, muitas das quais estavam dispersas por diferentes pontos do planeta devido à natureza generosa da artista, que as presenteava a seus amigos e conhecidos.

As obras de arte foram entregues em comodato à Fundação Museu Violeta Parra, criada em 2014 especialmente para conservar, restaurar, difundir e valorizar o legado desta grande criadora chilena.

O edifício é uma obra pública financiada pelo Estado chileno e foi inaugurado no dia 4 de outubro de 2015 – 98 anos após o nascimento da artista – em cerimônia presidida pela Presidenta Michelle Bachelet. É um espaço desenhado pelo arquiteto Cristián Undurraga, que permite tomar contato com o enorme legado artístico, social e cultural que Violeta Parra deixou ao Chile e ao mundo.

Baixar mais informações em Português aqui (pdf)

Como Chegar?

  • Acesso de pedestres
    Pela Vicuña Mackenna Avenue N°37 / Pela Ramón Corvalán Melgarejo street N°38
  • De metrô
    A um quarteirão da estação Baquedano, Linhas 1 e 5.
  • De Transantiago
    (ônibus)

    • Da zona oeste pela Avenida Alameda:
      401, 412, 405, 407, 418, 419, 412.
    • Da zona leste pela Av. Providencia::
      401, 412, 405, 406, 407, 412.
    • Da zona sul pela Av. Vicuña Mackenna:
      210, 213
    • Da zona norte:
      116 (entrada pela rua Ramón Corvalán Melgarejo).

Acesso para pessoas com mobilidade reduzida. O museu conta com rampa de acesso exterior, interior e elevador. O museu não conta com estacionamento para automóveis e bicicletas.

Visitar o museu

Em seu percurso, os visitantes podem conhecer a figura desta destacada artista, que resgatou o folclore e as tradições do mundo popular.

Através desta visita, o museu convida a apreciar o estilo próprio, independente e contrário aos padrões da época em que a artista realizou suas criações.
Em um de seus salões principais são exibidas obras de arpillera, pintura e papel machê, junto com documentos e objetos pessoais da artista.

O museu está situado em um edifício de pouco mais de 1300 metros quadrados, a alguns passos da Plaza Italia.

Uma de suas características é a extensa fachada, onde há um “equilíbrio entre tradição e modernidade”, como explica seu arquiteto Cristián Undurraga. Portanto, durante o percurso, esta questão é muito significativa. A tradição está representada pelo vime, tecido em sua forma mais básica. Enquanto que o concreto possui duas leituras: por um lado, evoca a pedra, o mais arcaico; por outro, representa a modernidade. O vidro também joga com essas duas dimensões, pois significa inequivocamente o moderno, o contemporâneo, mas nesse museu é incorporada a ele uma dimensão artesanal, através de um tecido ancestral.

A arquitetura do edifício também é inclusiva, pois conta com rampa de acesso ao exterior e ao interior do edifício.

E para que a exposição possa ser compreendida pelos mais diversos públicos, o roteiro museográfico – que foi criado pela MUSEAL – foi traduzido para os idiomas mapudungun, inglês e francês.

Já na Sala Educativa – desenvolvida junto à CONVERGENCIA – foi realizado um trabalho especializado em matéria de integração, para permitir acessibilidade e disponibilizar seus conteúdos em linguagem braile.

Os espaços do museu

Rampa
Ao entrar no museu se descobre uma longa rampa, à qual se convida caminhar com lentidão, para adentrar-se no universo da artista, através de sua música e do poema “Defesa de Violeta”, escrito por seu irmão Nicanor.

Sala Audiovisual
É um espaço íntimo para adentrar-se na vida e na obra de Violeta Parra, através de valiosos registros audiovisuais e documentais

Sala Humana
Localizada no piso superior do museu, exibe obras que representam a vinculação de Violeta Parra com as tradições populares e o mundo operário e camponês. Aqui estão obras que falam da importância da cueca, de sua proximidade com o circo e de suas grandes amizades, dentre outras. Também está presente seu guitarrón, instrumento de origem chilena utilizado preferencialmente para a interpretação do Canto ao Humano e ao Divino

Sala Divina
Nesse espaço percorre-se a conexão de Violeta Parra com a religiosidade e o mundo espiritual, sempre a partir dos costumes populares chilenos. A imagem de Cristo, a fé, o celestial e a morte e seus rituais – como o velório do anjinho – tomam conta da exposição, que é complementada com outro instrumento musical da própria artista: sua harpa.

Bosque Sonoro
Instalação através da qual os visitantes podem ter uma experiência sensorial e de aproximação à música da artista por meio de troncos sonorizados.

Sala Educativa
Concebida especialmente para os estudantes, este espaço possui uma série de dispositivos interativos que, através da música, das texturas, aromas ou poesia, permitem a seus visitantes compreender da melhor forma o contexto em que produziu a multifacetada Violeta Parra. Está pensado para abrigar oficinas de diferentes níveis educacionais, complementando assim as visitas guiadas realizadas por nossa equipe de mediação

Sala Antar
Com capacidade para 100 pessoas, o auditório do museu se apresenta como um lugar moderno e acolhedor, destinado à realização de espetáculos musicais, debates ou outros tipos de atividades. Rodeado de obras da artista, conta com um cenário e tecnologia que permitem apresentações com os mais altos padrões de qualidade. Tudo em uma localização privilegiada, no centro de Santiago, e imerso em um espaço de enorme valor cultural.

Visitas guiadas

Na Área Educativa, oferece Visitas Guiadas para o Público em Geral em espanhol e em inglês de maneira gratuita, com reserva prévia e segundo disponibilidade de agenda.

Requisitos: grupos entre 5 à 25 personnes
Horários:
Terça a sexta-feira: 9:30; 10:30; 11:30; 12:30; 14:30; 15:30; 16:30 e 17:30 horas.
Sábados e domingos: 11:00 e 12:00 horas.

Durante o percurso, que dura 45 minutos, os visitantes conhecerão os seguintes espaços:

Sala Educativa:
Introdução de forma lúdica e interativa, onde os visitantes utilizarão os cinco sentidos para conhecer Violeta Parra como uma artista integral, que deixou um importante legado patrimonial. (* Exceto em horários de oficinas)

Sala Humana:
Seleção de obras de arpillera, óleo e papel machê, onde a artista reflete elementos da “tradição popular e temas autobiográficos”, tudo acompanhado de músicas, documentos, fotografias e objetos pessoais.

Sala Divina:
Seleção de obras de arpillera, óleo e papel machê onde a artista destaca o caráter “religioso e popular e temas filosóficos profundos, como a vida ou a morte”, acompanhada de música, projeções, documentos e objetos pessoais.
O percurso culmina em uma bela experiência sensorial no bosque sonoro de Violeta Parra.
O museu possui um enfoque inclusivo e conta com informação traduzida em mapudungun, inglês e francês, bem como em linguagem braile. O edifício contém rampas de aceso e elevador para facilitar o deslocamento de pessoas com mobilidade reduzida.

Reservas e informações em educacion@museovioletaparra.cl
Telefones: +56 223554606